domingo, 19 de abril de 2009

Te Amarei



Te amarei
Independente da distância
Da ausência
Com o frio da saudade
Na chuva de tristezas
No calor das amarguras
Na fome dos carinhos
Eu te amarei
Na ânsia da sua presença
Na certeza da utopia
Independente de toda opinião alheia
Por que o amor pode ser passageiro
Mas o meu passará por toda vida...

Um comentário:

  1. Entre o que vejo e o que digo,
    entre o que digo e o que calo,
    entre o que calo e o que sonho,
    entre o que sonho e o que esqueço,
    a poesia.
    Desliza entre o sim e o não:
    Diz o que calo,
    cala o que digo,
    sonha o que esqueço.
    Não é um dizer: é um fazer.
    É um fazer que é um dizer.
    A poesia se diz e se ouve: é real.
    E, apenas digo é real, se dissipa.
    Será assim mais real?

    (Octávio Paz – México)

    Desejo uma semana iluminada, com muita paz e amor.
    Do amigo
    Eduardo Poisl

    ResponderExcluir